Equipe de robótica Retry desenvolve projeto de pesquisa sobre beija-flores


A equipe

A RETRY é a equipe de robótica da escola. Atualmente é formada pelos alunos: Andre Gomes Tcherniacovski; Caio Castello Grandi Ribeiro; Davi Freitas Lanes Vicentini; Franco Lovatti Souza Pinto; Lucas Castello Grandi Ribeiro; Mauricio Baiocco Furtado; Otávio Pelizzer Fonseca Reis E Pedro Viguini Daher e coordenada pela professora Graciela Alessandra Schuwartz e o técnico Roberto Soresini Coelho.

Anualmente participa do Torneio de Robótica FIRST® LEGO® League – FLL, que no Brasil tem como operador oficial o Departamento Nacional do SESI.

Em cada temporada há um tema e a equipe é avaliada em três quesitos: CORE VALUES, DESAFIO DO ROBÔ e PROJETO DE PESQUISA.

Na temporada 2016/2017, o tema é ANIMAL ALLIES e cada equipe tem como missão melhorar as interações com os animais.  A equipe RETRY optou por trabalhar com os beija-flores.

 

Sobre os Beija-flores

A pesquisa desenvolveu-se em torno dos beija-flores ou colibris, pássaro de rara beleza e habilidades ao voar. Têm o mais alto ritmo cardíaco, 1.000 batimentos por minuto, bate asas até 90 vezes por segundo e atinge até 70 km por hora. Tudo isso faz com que gastem muita energia e necessitem de alimento em grande volume. Esses pássaros alimentam-se do néctar das flores e visitam até 2 mil flores por dia.  Tais características os transformam nos mais eficientes agentes polinizadores.

“Os beija-flores desempenham um papel fundamental na cadeia biológica, pois são polinizadores de plantas. Na sua tarefa frenética de tirar o néctar das flores, eles transportam pólen de uma para outra, tornando possível sua reprodução. Há plantas que dependem exclusivamente do beija-flor para se reproduzir. É o caso das que possuem flores tubulares. Nelas, o pólen às vezes é tão profundo que só os longos bicos dessas aves conseguem alcançar.” – http://galileu.globo.com/edic/102/nos_beija1.htm

Tal espécie de ave é encontrada apenas nas Américas, sendo que o Estado do Espírito Santo registra o maior número de ocorrência por área, 42 espécies em 45 mil km2, por isso são um símbolo do nosso Estado.

 

Ouvindo a população capixaba

Por meio de questionário, foram ouvidas 80 pessoas com idades entre 10 e 60 anos.

47 pessoas afirmaram que não veem beija-flores no seu dia a dia, 33 veem e disseram que isso ocorre em parques e jardins que têm flores e 8 especificaram que os encontram em cidades do interior.

Ao perguntar qual o sentimento que ver um beija-flor lhes traz, todas as respostas foram positivas, como, alegria, liberdade, paz, felicidade. E todos responderam que gostariam de ver mais beija-flores na nossa cidade.

 

Observação das áreas verdes da cidade de Vitória

Foi realizado trabalho de observação das áreas verdes da cidade, parques e canteiros, e, apesar de muito bem cuidados, percebeu-se que não há flores e essa realidade não viabiliza a permanência dos beija-flores na cidade de Vitória.

 

Proposta de solução da equipe

Após colher essas informações, uma proposta foi desenvolvida para oferecer aos beija-flores condições de sobrevivência na cidade de Vitória.

Para que isso aconteça, é necessário oferecer alimento em quantidade suficiente para sua sobrevivência. É importante que essas áreas verdes contem com a presença de flores. Em alguns livros científicos, citados dentre as fontes de pesquisa, identificamos flores que esses pássaros apreciam e que são resistentes e, portanto, viáveis de serem colocadas em parques. São elas: Maria-sem-vergonha, Malvisco e Ixora.

Para oferecer ainda melhores condições, seria interessante que fossem disponibilizados bebedouros específicos para beija-flores em que se oferece água com açúcar cristal. Tal líquido oferece grande número de calorias, o que é muito importante para a permanência e sobrevivência dessas aves. Importante registrar que tais bebedouros demandam cuidado especial de troca diária de água, além da limpeza dos recipientes. Ao não se adotar esses cuidados, fungos e bactérias se proliferam, prejudicando e até matando os pássaros.

 

Foi registrado que:

  • Os bebedouros devem ser simples (sem flores artificiais ou enfeites);
  • A mistura a ser colocada deve contar 1/5 de açúcar cristal e 4/5 de água;
  • A mistura deve ser trocada diariamente;
  • Os bebedouros devem ser lavados diariamente, com água, escova ou esponja,
  • Para retirar fungos e sujeiras e não se pode usar produtos químicos.

 

Ilustrando a proposta:

Foi desenvolvido um desenho para ilustrar como ficariam essas áreas verdes. Em um pequeno espaço, flores e bebedouro foram reunidos, criando um ambiente favorável para os beija-flores. Vejam como ficaria na Orla de Camburi e no Parque da Pedra da Cebola!

 

camburi-min

pedra da cebola-min

 

Fontes de Pesquisa

Pesquisas sobre o tema foram realizadas em muitas fontes, entre elas:

Visitas

  1. EBMAR – Estação de Biologia Marinha Augusto Ruschi em Aracruz onde fomos recebidos por Gabriel Ruschi;
    http://www.ruschicolibri.com.br/
  1. AVIDEPA – Associação Vila-velhense de Proteção Ambiental tendo conversado com César Musso;
    http://www.avidepa.org.br/

Artigos Científicos

  1. Polinização das bromélias por beija-flores –
    Patrícia da Silva Cerqueira, Janaína Marques Araújo, Carine Garcia Pinto Quinet
    http://publicacoes.unigranrio.br/index.php/sare/article/view/983
  1. Bromélias e beija-flores: um modelo observacional para testar hipóteses sobre correlações e adaptações morfológicas recíprocas
    Liana Carneiro Capucho, Suely Dalcolmo, Tiago de Holanda Formigoni and Ary Gomes da Silva Rodriguésia Vol. 58, No. 1 (2007), pp. 49-58
    https://www.jstor.org/stable/23498759?seq=1#page_scan_tab_contents
  1. Pesquisa detalha interação entre plantas e beija-flores
    Pietro Kiyoshi Maruyama Mendonça – Jornal UNICAMP –  Campinas, 25 de abril de 2016 a 01 de maio de 2016 – ANO 2016 – Nº 653
    http://www.unicamp.br/unicamp/ju/653/pesquisa-detalha-interacao-entre-plantas-e-beija-flores
  1. O potencial de bebedouros artificiais de beija-flores para a educação ambiental
    Sandra Fagionato-Ruffino; Carolline Zatta Fieker; Matheus Gonçalves dos Reis
    https://www.amigosdanatureza.org.br/publicacoes/index.php/forum_ambiental/article/view/170

Livros

  1. Aves Brasileiras – Johan Dalgas Frisch e Christian Dalgas Frisch
  1. Jardim dos Beija-Flores – Johan Dalgas Frisch e Christian Dalgas Frisch