Alimentação também se aprende na Escola


A escola, como instituição de ensino, tem um papel fundamental para além da sala de aula: ela possui o dever e a capacidade de promover a manutenção da saúde por meio da alimentação nos intervalos e horários de almoço. Decidir o que é ofertado nas cantinas e refeitórios carrega, em si, uma grande responsabilidade na construção e correção dos hábitos alimentares de crianças e adolescentes; uma tarefa que se apresenta desafiadora em tempos de fast food, alimentos altamente industrializados e uso crescente de agrotóxicos. Com uma alimentação balanceada, não apenas a saúde física é estimulada, mas também a cognitiva, acarretando melhorias significativas na aprendizagem dos alunos.

Na Monteiro, os cardápios alimentares são elaborados pela nutricionista Flaviane Minzoni. Ela defende que uma alimentação balanceada é muito importante para o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes. Em fase de crescimento, é necessário que essa transição ocorra de maneira saudável, para bom funcionamento do organismo e para criar uma relação positiva com a comida – inclusive, um aprimoramento do paladar – nos alunos, desde pequenos.

Flaviane afirma que, durante 2019, a Escola adotará e propagará uma alimentação cada vez mais saudável, com a proposta de caracterizar a comida como gostosa, ao mesmo tempo que contribui para a saúde: “Por exemplo, uma carne que eles já gostam é introduzida com legumes diferentes; hoje mesmo foi oferecido chuchu com ovo que foi super bem-aceito”. A nutricionista percebe que os alunos têm acatado, progressivamente, a então proposta da Monteiro. Felizmente, vem ocorrendo a aceitação de um cardápio mais balanceado, do qual foram excluídas algumas opções que antes eram comuns, buscando diminuir o uso de industrializados.

Tanto nos cardápios do almoço quanto nos lanches da cantina, são ofertadas opções integrais, também são utilizadas receitas funcionais, além de ser incentivado o consumo de frutas e suco ao invés de refrigerante. Além disso, a Monteiro também oferece alternativas alimentares àqueles alunos adeptos do veganismo, do vegetarianismo, como também aos que possuem algum tipo de alergia, intolerância ou doença – como a celíaca. Alguns pais informam sobre as restrições dos filhos diretamente à equipe da cantina e à Flaviane, que, por sua vez, elabora o cardápio previamente visando esses alunos, a fim de proporcionar algum salgado que não tenha lactose, por exemplo, bem como algum suco ou vitamina que são feitos de forma diferenciada, especialmente para eles.

A nutricionista da Monteiro acredita que esse tipo de preocupação da Escola representa um diferencial valioso na instituição. A ideia de incentivar os alunos à experimentação, à adaptação do paladar e à alimentação saudável por meio das opções ofertadas auxilia no entendimento da importância nutricional, ao invés de simplesmente impor a concepção de que a comida pode ser gostosa sem necessariamente ser industrializada. Flaviane também ressalta que a alimentação balanceada resulta na melhora do rendimento escolar e faz com que o aluno leve bons hábitos alimentares para casa. Desde os mais pequenos aos mais velhos, esses estudantes têm a oportunidade de influenciar a nutrição dos pais e da família: “Hoje, o que a gente planta é uma semente. Quem sabe, assim, não conseguimos introduzir uma geração nova, mais ciente e adepta a uma alimentação saudável?”, acrescenta a nutricionista. A expectativa é a de que alunos da Monteiro possam adotar uma rotina alimentar benéfica e sustentável ao longo de suas vidas.

Talita Vieira.