Dando um up na saúde mental dos filhos: desafios da contemporaneidade


No dia 14 de maio, a Escola Monteiro realizará uma palestra sobre saúde mental voltada aos pais dos alunos contemplados pelo Projeto Escola de Pais. Como palestrante, a Doutora em Psicologia Clínica e Terapeuta de Famílias e Casais, Daniela Reis e Silva foi convidada pela Escola para expor e analisar o importante tema junto às famílias.

Diante de inúmeros desafios educacionais enfrentados atualmente, muitos pais não conseguem identificar os sinais de possíveis ameaças à saúde mental e emocional de seus filhos. Ou, ainda, não sabem lidar, especificamente, com os danos e malefícios causados nessas áreas da vida dos pequenos. Apesar de ser um assunto que vem sendo debatido progressivamente – principalmente na pós-modernidade –, a saúde emocional ainda é encarada como tabu por alguns que desconhecem ou menosprezam sua importância em detrimento da saúde física.

Daniela Reis e Silva, Doutora em Psicologia Clínica e Terapeuta de Famílias e Casais. Coordenadora do Apoio a Perdas Irreparáveis/ES e Diretora da Associação Brasileira de Prevenção de Suicídio. Foto: Divulgação/Acervo pessoal 

Considerando o crescente aumento de doenças como a depressão e ansiedade, inclusive entre jovens, entender a questão mais a fundo vem se tornando uma necessidade urgente. Segundo dados da OMS divulgados pela Super Interessante, em 2011, a depressão afeta em torno de 10% dos adolescentes brasileiros, ao passo que atingem 20% deles na população mundial.

A Doutora em Psicologia Clínica, Daniela Reis reitera que os problemas emocionais podem surgir na mais tenra idade, se desenvolvendo de forma cada vez mais precoce e intensa, como em bebês, inclusive. Ela alerta que crianças pequenas já podem apresentar quadros de ansiedade, fobias específicas ou generalizadas, e até mesmo depressão.

Como alguns dos principais riscos para a saúde mental e emocional de crianças e adolescentes, Daniela aponta a “Negligência e a violência em suas mais variadas formas, a busca por um perfeccionismo implacável em meio à exigências sociais, a complexidade e a superficialidade das relações familiares, o mau uso das tecnologias, a permissividade dos cuidadores principais, a baixa tolerância à frustração, o fácil acesso a álcool e drogas e a falta de rede de apoio”.

Portanto, “É imprescindível zelar pela boa convivência familiar, independente de qual seja a sua configuração, proporcionando para nossos pequenos um ambiente saudável e seguro para seu desenvolvimento”, destaca a psicóloga. Dedicar uma atenção maior à essa área da vida dos filhos pode prevenir quadros mais graves, como “O abuso de substâncias psicoativas, a automutilação e o comportamento suicida, cada vez mais frequentes em todas as classes sociais”, complementa.

Saúde mental não é frescura – ao negligenciá-la, os pais e familiares deixam crianças e adolescentes expostos a maiores riscos de desenvolver patologias graves na vida adulta, de tratamento prolongado e de difícil solução. A palestrante convidada reconhece que muitos pais enfrentam dificuldade para identificar as diferenças entre birra e problemas emocionais dos filhos, principalmente quando se está envolvido no problema, por ser complicado perceber a contribuição pessoal para seu surgimento ou intensificação.

A Escola Monteiro, junto à Daniela Reis, quer colocar em pauta a importância da intervenção precoce na saúde mental e emocional dos filhos. Uma das finalidades da palestra é ensinar conceitos importantes aos pais, a fim de auxiliá-los a construir um contexto familiar que permite o desenvolvimento de um adulto funcional e equilibrado.

A fim de provocar reflexões sobre este delicado tema e oferecer algumas importantes orientações, convidamos os pais e familiares dos alunos da Monteiro para a palestra “Dando um up na saúde mental dos filhos: desafios da contemporaneidade”, que acontecerá no dia 14 de maio. O evento será iniciado às 19h, precedido de uma recepção que ocorrerá às 18h30, no auditório da Escola.

As inscrições devem ser feitas até o dia 13, na recepção, com Sarah ou Kézia. As vagas são limitadas.

Talita Vieira.