Em pé, da esquerda para a direita: Juliana Martins, Ana Carolina Xavier e Flávia Cavalcanti. Alunas sentadas: Isadora Amorim, Laura Locatel e Júlia Nunes. Foto: Talita Vieira/ Divulgação

Você sabia que existe o Dia Internacional da Higiene Menstrual? A data, 28 de maio, foi criada pela ONG alemã WASH United, a fim de promover a conscientização de meninas e mulheres sobre a importância da higiene íntima durante o período menstrual. 

Laura Locatel é a idealizadora da Campanha de Higiene Menstrual. Foto: Acervo pessoal/ Divulgação

Pensando nas mulheres em vulnerabilidade social, como as que estão em situação de rua, algumas alunas do Ensino Médio arrecadaram absorventes, papel higiênico e sabonete íntimo. A campanha foi idealizada pela estudante Laura Locatel, após ficar impactada com a reação de uma mulher ao receber um absorvente em meio a roupas doadas pela aluna, durante uma ação social. “Ela ficou muito feliz quando viu o absorvente, até gritou”, conta. A partir disso, Laura passou a se atentar para a pobreza menstrual, situação delicada que muitas mulheres em vulnerabilidade social enfrentam.

A proposta de realizar uma campanha na escola coincidiu com a proximidade do Dia Internacional da Higiene Menstrual e foi acolhida e incentivada pelos coordenadores do segmento, Elio Serrano e Luana Pittizer. Além deles, a estudante teve o apoio da orientadora pedagógica Tatiani Svacina, da bibliotecária Luma Almeida e de vários professores. 

Muitos itens foram doados, tanto por estudantes quanto por colaboradores. Outras alunas do Ensino Médio, amigas de Laura que abraçaram a ideia, também arrecadaram os itens de higiene para a campanha. Cartazes foram colados em alguns espaços da Monteiro e caixas foram colocadas no hall de entrada para a comunidade escolar depositar as doações, coletadas até o dia 28.

Jeito Monteiro de educar: incentivo, acolhimento e humanização

“É a primeira vez que eu vejo uma escola falar de um assunto que, até pouco tempo, era um tabu gigante – e ainda é considerado assim, de certa forma. A iniciativa ajuda a quebrar o tabu não apenas entre as meninas, pois, também contar com a participação dos meninos, que não passam por esse período, é algo muito importante. A escola dar visibilidade a esse assunto é sensacional”, destaca Laura. “Acho que o que faz a Monteiro ser ainda mais diferenciada é que, mesmo que tenhamos ideias, há quem queira que as coloquemos em prática. O Manga compartilhou a campanha em suas redes sociais dizendo ‘viva essa juventude linda’, e, nós só somos essa juventude porque professores como os nossos também foram”.

Talita Vieira.

Matérias relacionadas